O Sistema de Alerta InfoDengue

O Sistema InfoDengue visa gerar um sistema de alerta em tempo quase-real para os casos de transmissão de dengue nos municípios. A ideia principal é o acesso rápido a informação!

As Secretarias de Vigilância em Saúde, através da utilização das informações geradas semanalmente pelo sistema, poderiam tornar mais ágeis e eficazes suas tomadas de decisão quanto aos seus programas de vigilância em dengue. O sistema de alerta procura remover a distância que existe entre a análise das informações sempre aplicadas ao passado, e a necessidade de gerar informações em tempo quase-real para tomada de decisão.

Para que o sistema funcione, diversas metodologias de análise são utilizadas de forma integrada, incluindo modelagem de sobrevida, modelagem bayesiana, e um pipeline de coleta e processamento rápido de dados. Essa automatização integrada com modelagem estatística possibilita a rápida visualização da distribuição dos casos de transmissão de dengue em um município ao longo do tempo e do espaço. Os dados que alimentam o sistema são provenientes de diferentes fontes, incluindo clima, redes sociais e dados oficiais de notificação.

Além disso, o site disponibiliza informações sobre o histórico da dengue no município em diferentes formatos que podem ser acessados por todos, cidadãos, estudantes, professores, pesquisadores, enfim, qualquer pessoa interessada em entender como anda a situação da transmissão de dengue em seu município.

O controle da incidência e preparação para o enfrentamento de epidemias de dengue dependem de um monitoramento eficaz de sinais que pressagiem o aumento de casos e potenciais epidemias. Desta forma, é de grande importância a análise de toda a informação sobre dengue gerada durante o processo de sua notificação, servindo assim como base para as decisões da política de saúde dos municípios.

Mais Detalhes...

O Sistema de Cores de Notificação

A dengue é difícil de prever, chega de repente. Tem ano que vem para arrasar, tem ano que mal aparece. O Info dengue é como um serviço de meteorologia, só que além do sol e da chuva, ele também fica de olho na dengue, no mosquito, e nos murmurinhos nas redes sociais. Essas informações alimentam modelos estatísticos previamente validados com dados históricos, que indicam a situação da dengue na cidade.

Quando está tudo bem, o mapa está VERDE. O clima não está muito pra mosquito, e a dengue acontece aqui e ali. Porém, quando a temperatura aumenta, os mosquitos começam a se reproduzir mais rápido. O AMARELO indica que está um quente bom para mosquitos e é preciso prestar atenção nos criadouros. O que você pode fazer? Dedique 10 minutos do seu dia ao combate da dengue. Confira as dicas em: 10 minutos contra a Dengue

Quando junta muito mosquito com muitas pessoas que não tiveram dengue, é o prato perfeito para o virus da dengue se espalhar. Ele passa do mosquito para a pessoa que passa para outro mosquito que passa para outra pessoa, e pronto, tem-se a transmissão sustentada da dengue! A cor LARANJA indica essa situação. É hora de redobrar os esforços para eliminar focos de mosquito. Preste também atenção nos sintomas da dengue em você, na sua família, nos seus vizinhos e amigos.

Se uma de cada 1000 pessoas em um município tem dengue, então o alerta passa para o VERMELHO avisando que se você não teve dengue ainda, o risco é grande. Todo cuidado é pouco. Preste atenção aos sintomas e busque ajuda. A DENGUE É CÍCLICA, e depois do VERMELHO vem o VERDE e todo o ciclo começa de novo. Então não se esqueça de estar sempre antenado no InfoDengue. Nele, você tem como saber sobre a situação do seu bairro. Clique no Mapa e saiba agora mesmo como está a dengue aí, onde você está.

O Pré-Processamento de Dados e a Geração de Indicadores

A realização de uma análise preliminar dos dados de notificação de casos de dengue mostra que o tempo de atraso entre a notificação e digitação tem uma mediana de 14 dias. Para corrigir este atraso, um modelo de sobrevivência lognormal (Carvalho et al, 2011) foi ajustado aos dados e utilizado para inferir o número de casos na semana, na ausência de atraso.

Com a série temporal de casos corrigida para cada regional de saúde, o número reprodutivo efetivo (Rt) é calculado, de acordo com a equação 4.2 de Nishiura et al (2010) e assumindo um intervalo serial para a dengue de 3 semanas. O Rt é basicamente uma medida da variação do número de casos e é calculado como a razão entre o número de casos em um intervalo temporal e o número de casos no intervalo anterior. Se Rt > 1, há expansão da epidemia, se Rt %3C 1, há retração. Para dar conta da incerteza nas estimativas dessa quantidade, nós calculamos o intervalo de credibilidade (Coelho & Carvalho, 2015) para o Rt e consideramos um evento de expansão se a probabilidade de que Rt > 1 for superior a 90%.

Com relação aos dados de tweets, a mesma técnica é empregada, gerando um número reprodutivo dos tweets (Rttw). Variações positivas significativas indicam um aumento de risco.